Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

29
Mai17

Sugestões de leitura de Bill Gates - 5 livros para o verão

ben-white-128604.jpg

Ben White

 

Vamos à lista?

Born a Crime -Trevor Noah 

O livro de memórias de Trevor Noah, o actual apresentador do Daily Show. Considerando que nasceu na África do Sul, de um casal bi-racial ainda durante o Apartheid, é bem provável que tenha uma perspectiva interessante. 

 

The Heart - Maylis de Kerangal (Cuidar dos Vivos/Teodolito)

Segundo Bill Gates, este livro de ficção sobre o luto, "é mais poesia que qualquer outra coisa". 

 

Hillbilly Elegy - J.D. Vance

Novamente um livro de não-ficção, as memórias de J.D. Vance, que conta como é crescer numa cidade pobre dos Apalaches norte-americanos e ascender ao "sonho americano" e viver fora dele. Nos EUA tem sido alvo de muitas discussões, dado o actual ambiente político.

 

Homo Deus - Yuval Noah Harari  (História Breve do Amanhã/Elsinore)

Do autor de Sapien, que ainda não li, o Homo Deus é tido, precisamente, como a sua continuação. O livro explora o futuro da humanidade e se sobreviveremos ao poder destrutuivo da nossa raça. 

 

21
Mai17

Recapitulando...

Numa fase de intenso trabalho, as leituras têm ficado relegadas para segundo plano. 

 

Voltei aos clássicos na estante e optei por "limpar" a minha TBR de contos:

A dama pé-de-cabra, de Alexandre Herculano (já referido aqui)

 

A ruiva, de Fialho de Almeida

 A ruiva, é um conto tão belo como perturbador. A ruiva é Carolina, a filha de um coveiro que cresce sem mãe e entre cadáveres, ao ponto de o conto resvalar para episódios de necrofilia. 

No fundo, é uma história sobre a pobreza e a degradação humana que, a meu ver, tem o seu momento magistral na descrição da infância de João, aquele que será o interesse amoroso de Carolina.

 

Anne Frank - biografia gráfica, Sid Jacobson & Ernie Cólon

1

É frequente ir à biblioteca durante o meu intervalo para almoço. Costumo ler livros de contos aos pedaços, excertos de diários, livros de fotografia ou novelas gráficas.

Foi precisamente isso que aconteceu com esta biografia gráfica de Anne Frank. Decidi desfolhar e acabei presa ao livro. O que particularmente me interessou foi esta biografia começa com Otto e Edith e como se conheceram até depois da publicação do diário. Pelo meio, a contextualização histórica das guerras, dos campos de concentração, entre outros. 

Um livro magnífico que recomendo vivamente.

 

Porto Desconhecido & Insólito - Histórias que (provavelmente) nunca ouviu - Germano Silva

Aqui está outro livro que foi uma agradável surpresa. Peguei nele por impulso, porque tinha bastantes fotografias e queria partilhá-lo com a minha mãe. Ontem voltei a pegar nele... até às 1h30 e terminei-o esta manhã. Germano Silva é um ilustre historiador portuense que sempre conheci como alguém que passou grande parte da sua vida a partilhar com outros a sua paixão pela história da cidad do Porto. 

O Porto que partilha neste livro é cheio de curiosidades e um guia alternativo para visitar o Porto. Apesar de viver em Gaia e estudar e trabalhar no Porto, encontrei verdadeiras surpresas (que quero visitar, graças à indicação da toponomia actual de alguns espaços) e resposta a algumas perguntas que tinha, em relação a espaços e inscrições com que me cruzo frequentemente.  

Das inscrições na Rua das Flores, à casa mais antiga da cidade (que ainda é habitada), até histórias de amor escondidas nos cemitérios da cidade, este livro é um guia para (re)conhecer a cidade do Porto.

 

Alex + Ada,  Jonathan Luna, Sarah Vaughn

alex

Falaram-me do Alex + Ada a propósito das minhas leituras de Saga. Alex + Ada é uma novela gráfica em vários volumes (quem me emprestou, só tinha os primeiros 2 que abrange os fascículos 1 a 10) que retrata um futuro com andróides com inteligência artificial.

Aquilo que poderia ser uma banal história de amor, num ambiente de ficção de científica, torna-se uma metáfora para o que é ser humano, precisamente quando consideramos o que são andróides com IA, sensitivos e capazes de emoções "humanas". São apenas máquinas? Têm direitos?

 

Ainda a ler:

A história das coisas, de Annie Leonard

Como fui metendo outras leituras pelo meio, duvido que consiga terminar antes do fim de prazo para entregar o livro.

 

A não ler:

Pensar, depressa e devagar, de Daniel Kahneman

Há semanas que tenho requisitá-lo na biblioteca, mas está sempre emprestado. Não quero reservar porque isso implica que a pessoa que o tem, não conseguirá renovar o empréstimo. Por isso, aguardemos.

16
Mai17

O dia em que o mar voltou - um romance musical

1

" E um dia voltou a acontecer. O relato da destruição de Lisboa aos pés de um intenso terramoto e de um aterrador tsunami, a mostrar que a capital portuguesa continua a ser presa fácil de uma ameaça que se mantém sempre presente. Esta é uma história de devastação, sofrimento e choque. E é uma história de homens como nós, tornados gigantes pela força das circunstâncias.

 

O autor volta a apresentar uma narrativa para a qual compôs músicas. Assim, o que se propõe é um novo romance musical. Para ler. Para escutar. Para sentir.

 

Um romance musical.

 

Uma experiência vivida em vários canais. (...) Um romance escrito, composto e interpretado pelo mesmo autor. Uma história escrita, complementada pela música. Leia a história e ouça a música no próprio livro. Encontrará os temas também disponíveis em CD." 

 

Fiquei muito curiosa para experimentar o conceito. Pelo que li, há códigos QR para aceder aos conteúdos musicais. Muito interessante.

 

09
Mai17

A dama-pé-de-cabra - Alexandre Helculano

1

alão = grande cão de fila

pendão = bandeira, emblema

mofina = miséria, infelicidade

preado = prendido

onagro = burro selvagem

etc., etc.

 

Ler este conto foi um trabalho inglório. Depois de tanto trabalhado a decifrar o texto, não me perdi de amores pelo conto.

E depois de um começo tão promissor... 

Vós os que não credes em bruxas, nem em almas penadas, nem em tropelias de Santanás, assentai-vos aqui ao lar, bem juntos ao pé de mim, e contar-vos-ei a história de D. Diogo Lopes, senhor de Biscaia.

E não digam no fim: - "não pode ser." - Pois eu sei cá inventar coisas destas? Se a conto, é porque a li num livro muito velho. E o autor do livro velho leu-a algures ou ouviu-a contar, que é o mesmo, a algum jogral em seus cantares.

É uma tradição veneranda; e quem descrê das tradições lá irá para onde o pague.

Juro-vos que, se me negais esta certíssima história, sois dez vezes mais descridos do que S. Tomé antes de ser grande santo. E não sei se eu estarei de ânimo de perdoar-vos como Cristo lhe perdoou.

Silêncio profundíssimo; porque vou principiar. 

08
Mai17

Livros que não requisitei

Aqui fica a lista de alguns livros que não requisitei, na minha última visita à biblioteca:

O MASSACRE PORTUGUÊS DE WIRIAMU - Mustafah Dhada

O racismo em português - Joana Gorjão Henriques

A Gorda - Isabela Figueiredo

(...)

 

E perguntais: porque diabo estás a indicar os livros que nem vais ler? Falta de assunto?

 

Nop. Muito pelo contrário. É a excelência da oferta, à mão de semear, que torna a minha disciplina, tão merecedora de destaque. 

 

Estou a ler (e a adorar) A história das coisas, de Annie Leonard e para ficção mais portátil, tenho A dama pé-de-cabra, de Alexandre Herculano.

 

O meu objectivo, para Maio, é não me desviar do objectivo de ler das minhas estantes.

Pág. 1/2