Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

29
Jun17

Nós - EVGUENI ZAMIATINE

Num fantástico artigo do Open Culture, descobri que em 1923, EVGUENI ZAMIATINE escreveu Nósuma distopia que iria influenciar George Orwell.  

 

Em Nós, encontramo-nos 1.000 anos depois de uma revolução que levou o Estado Único ao poder. Os seus cidadãos são apenas conhecidos por um número e quem ousar rebeliar-se contra o estado totalitário, é neutralizado com uma espécie de lobotomia.

 

(...) o protagonista da história é D-503, um engenheiro que trabalha em uma nave espacial que visa trazer os princípios gloriosos da Revolução para o espaço.

Este mundo é governado pelo benfeitor e presidido pelos Guardiões. Eles espionam os cidadãos, que todos vivem em apartamentos feitos de vidro para que possam ser perfeitamente observados.

A confiança no sistema é absoluta. A igualdade é aplicada, até o ponto de desfigurar o fisicamente belo.

A beleza - assim como seu companheiro, arte - é uma espécie de heresia no Estado Único, porque "ser um meio original para se distinguir dos outros. Segue que ser original é violar o princípio da igualdade".

 

Como não é difícil de compreender, Nós foi censurado pelo estado soviético e a sua publicação é feita em 1923, nos Estados Unidos da América, quando EVGUENI ZAMIATINE ainda estava na Rússia de Estaline. Foi este último que autorizou o escritor do país, depois de este ser "demonizado" pela imprensa e as suas publicações censuradas.

imagem

4 comentários

Comentar post