Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

18
Jul17

Os dois irmãos - Germano Almeida

DSCF2183

No meu mês dedicado a Cabo Verde, assinalei alguns autores que ia encontrando, pela Internet, identificados como "referência" da literatura cabo-verdiana. Germano de Almeida era um desses autores. 

Germano_Almeida

Escolhi Os dois irmãos, porque algures, li que seria a sua obra mais popular. 

 

Os dois irmãos é a história de um fratricídio, em que André mata o irmão (João) porque este cometeu adultério com a sua esposa. Parece um caso simples, mas não é:

Logo nos primeiros dos dois dias que tinha demorado o julgamento ele tinha sido colocado perante uma constatação de certa forma embaraçosa: depois do público conhecimento dos factos que estavam na origem do fratricídio, aquela luta tinha sido reputada como tão certa e tão absolutamente necessária que parecia que até ao fim continuava escapando ao entendimento de todo o povoado a razão porque André tinha levado tanto tempo a consumá-la.

 

É essa dúvida que assolará o juiz, durante todo o julgamento e é no decurso desse que se vai desenrolando um novelo de histórias, entre tensões sociais e sentimentos pessoais.

É também um retrato de uma sociedade que vive entre duas forças e choques, entre a tradição e a modernidade. Se por um lado temos a vida fechada da aldeia, por outro as intrusões dos seus filhos que começam a sentir-se puxados por uma vida exterior (emigração) moderna e cosmopolita.

 

Vou ser honesta, senti-me verdadeiramente puxada por este livro e não consegui parar de ler, até (também eu), saber o que tinha acontecido naquele intervalo de 3 semanas, em que André não matou o seu irmão.

1 comentário

Comentar post