Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

04
Out17

Biografia de Teresa de Ávila

Avila_-_Catedral,_interiores_27 

  • A "Autobiografia", escrita antes de 1567 sob a direção de seu confessor, fr. Pedro Ibáñez.
  • "O Caminho da Perfeição" (El Camino de Perfección), também escrito sob a direção de Ibáñez;
  • "Meditações sobre o Cântico do Cânticos" (1567), escrita para suas "filhas" do Carmelo.
  • "O Castelo Interior" (El Castillo Interior; 1577), na qual compara a alma contemplativa a um castelo com sete sucessivas cortes (ou câmaras) interiores, análogas aos sete céus.
  • "Relações" (Relaciones), uma extensão de sua autobiografia relatando suas experiências internas e externas na forma de epístolas.
  • Duas obras menores: "Conceitos de Amor" (Conceptos del Amor) e "Exclamações" (Exclamaciones).
  • Além destas, há também "As Cartas (Las Cartas; Saragossa, 1671), as correspondências de Teresa, da qual restaram 342 cartas completas e fragmentos de outras 87. A prosa de Teresa é marcada de uma graça sem afetações, de esmerada ornamentação e de um encantador poder expressivo, qualidades que a colocam no primeiro escalão da literatura espanhola.
  • Finalmente, seus raros poemas estão reunidos em "Todas as Poesias" ("Todas las poesías", Munster, 1854) e se distinguem pela ternura e pelo ritmo. 

Fonte: Wikipédia

01
Out17

Nova editora: Sibila

Finalmente, um novo episódio do programa de rádio/podcast A Páginas Tantas (espero que não passem a quinzenal). Foi aí que ouvi que a escritora Inês Pedrosa tem uma nova editora - Sibila Publicações - para ensaios femininos.

 

1

A fúria inspirou a escritora e poeta libanesa Joumana Haddad a criar a primeira revista erótica do mundo árabe. A visão que o Ocidente tem da mulher árabe parece-lhe terrível, e a imagem transmitida pela maioria das mulheres do Médio Oriente, revoltante. Na carta dirigida ao "caro ocidental" que abre este livro, a autora previne: "Se vem aqui em busca de verdades que supõe já saber e de provas que acredita já ter; se alimenta a esperança de ser reconfortado nas suas visões orientalistas, ou de ver reconfirmados os seus preconceitos anti árabes; se espera ouvir a cantilena interminável do choque de civilizações, é melhor parar já. Porque, neste livro, vou fazer tudo o que puder para o 'desapontar'". "Eu Matei Xerazade", desafia as ideias-feitas sobre a feminilidade árabe e, ao fazê-lo, esmaga o antiquíssimo estereótipo de Xerazade, a virginal heroína que passou "As Mil e Uma Noites" a seduzir o rei para que ele não a matasse. Ardente e desassombrado, este ensaio poético e provocador onde a reflexão se cruza com as memórias da infância e da adolescência da autora, precoce leitora do Marquês de Sade que cresceu em Beirute em plena guerra, é um vendaval que vem revolucionar o pensamento contemporâneo sobre as questões de género.

  2

Mas o meu radar alinhou imediatamente pelo lançamento de Novembro: "Só Acontece aos Outros - Histórias de Violência.", de Maria Antónia Palla, que desvenda a violência oculta na sociedade portuguesa contemporânea. 

Maria Antónia Palla é/foi uma activista dos direitos humanos e do feminismo, que - por acaso - também é a mãe do nosso primeiro ministro. 

Em 2016 li Viver pela liberdade, que foi uma das minhas leituras preferidas desse ano.

30
Set17

Este sábado eu vou...

Acompanhar as sessões da conferência "Em que pé está a igualdade?", da Fundação Francisco Manuel dos Santos. 

 

2231_oxo3n5yt.cwy

Literariamente falando, quero...

  • ver o vídeo de Gonçalo M. Tavares: "Dez Igualdades"
  • ouvir Richard Zimler e colocá-lo na minha lista de prioridades para ler (é surreal que nunca o tenha lido)
  • ouvir Ruby Bridges 
  • descobrir uma boa biografia (de preferência auto biografia) de Ruby Bridges 
  • descobrir um livro infanto-juvenil sobre  Ruby Bridges 
  • ouvir/ver o Governo Sombra em directo

images

2802861

12
Set17

NA SÍRIA - Agatha Christie

 56abd7556fe51972bf7c9e0eadcba867-bigbook

Setembro é mês de Agatha Christie, no projecto de leitura Historiquices, do blog A miúda Geek. Não "podendo" ler a autora, apetecia-me lê-la através do seu trabalho de não ficção e este Na Síria pareceu-me fantástico.

Porém, dela há também uma autobiografia que gostaria de ler e lembro-me de ouvir falar muito bem de uma biografia, mas não me recordo de qual. Definitivamente não quero tropeçar numa biografia especulativa, mais interessada no célebre episódio do seu desaparecimento, que na vida e obra.

Autobiografia-de-Agatha-Christie

 

11
Set17

Livros Proibidos

Se vi bem, esta colecção foi distribuída em 2014.  Mas eu vi outros livros, nomeadamente o Luuanda. Não o comprei porque a letra era minúscula para os meus olhos, mas adorei que visse acompanhado com o relatório dos oficiais da censura, que determinaram a proibição do livro.

 

No fundo, fiquei com mais uma lista de livros a ler. 


p1

p2

p3

p4

 

E por falar em listas de livros proibidos, o que dizer da compilação de 900 livros, feita pelo investigador José Brandão?

Numa palavra? Magnífica!

Capturar

Texto introdutório

Lista (pdf)

11
Set17

Autores Moçambicanos

1 

 

Confesso-me bastante iliterata, no que respeita a autores moçambicanos. Na verdade, no que respeita a autores de países africanos de língua oficial portuguesa, na sua globalidade. 

  

Cada país em que me aventure, é um trabalho de investigação para desencantar nomes. Depois, andar atrás deles em bibliotecas. 

  

Mia Couto é um grande embaixador da literatura moçambicana, mas não queria ficar por aí. Tenho já uma lista de potenciais leituras que inclui José Craveirinha, Paulina Chiziane João Paulo Borges Coelho, que venceu o Prémio LeYa 2009.

  

Nas minhas pesquisas, encontrei uma lista particularmente interessante: os vencedores do Prémio José Craveirinha de Literatura, para autores moçambicanos, nos géneros de poesia, ficção narrativa e drama:

 

2003 - Paulina Chiziane Niketche. Uma História de Poligamia
2004 - Eduardo White e Armando Artur Vinte e Quatro Poemas, de Malangatana
2005 - João Paulo Borges Coelho As visitas do Dr. Valdez
2006 - João Paulo Borges Coelho Crónica da Rua 513.2
2007 - Ungulani Ba Ka Kossa Os sobreviventes da noite
2008 - Desconhecido  
2009 - Aldino Muianga Contravenção
2010 - Calane da Silva  
2011 - Lília Momplé Ninguém Matou Suhura
2012 - Desconhecido  
2013 - Desconhecido  
2014 - Luís Bernardo Honwana Nós Matámos o Cão-Tinhoso
2015 - Desconhecido  
2016 - Fátima Mendonça

 

07
Set17

Com o Mar por Meio. Uma amizade em Cartas - Jorge Amado e José Saramago

36169078

Paloma Jorge Amado, Bete Capinan, Ricardo Viel (Org.)

 

A amizade entre Jorge Amado e José Saramago teve início quando os dois já tinham idade mais avançada e consolidada carreira literária, porém o vínculo tardio não impediu que os escritores formassem um laço forte, estendido as suas companheiras, Zélia e Pilar. Este livro reúne a correspondência entre os dois mestres - e os dois casais, muitas vezes -, entre os anos de 1992 e 1998. São cartas, bilhetes, cartões e faxes com uma rica troca de ideias sobre questões tanto da vida íntima como da conjuntura contemporânea, sobretudo a cena literária. Eles debatem com humor sobre prêmios e associações de escritores, com especulações divertidas sobre quem seria, por exemplo, o próximo a ser contemplado com o Nobel ou o Camões. Com um projeto gráfico especial, ilustrado com facsímiles das missivas e belíssimas fotos do acervo pessoal dos autores, Com o mar por meio aproxima os leitores do universo particular dos dois amigos. 

Daqui

Inspiração

05
Set17

O ANJO PORNOGRÁFICO: A Vida de Nelson Rodrigues, de Ruy Castro

6

 Além de escritor prolífico, com uma produção a todos os títulos espantosa, Nelson Rodrigues foi protagonista de uma vida extraordinária: com pobreza, fome, a cegueira da filha, sucesso e declínio, doenças fatais e sucessivos golpes à sua vasta família trágica, desde homicídios (como o do irmão Roberto, a que assistiu) a soterramentos.

 

 

#biografia

#Brasil