Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

26
Dez17

Sem planos para 2018

Depois de um ano a apenas ler mulheres e outro a ler literatura de países com língua oficial portuguesa, o meu objectivo para 2018 é ler. Ponto final. Parágrafo.

 

O final de 2017 tem sido extenuante. E apesar de ter feito leituras excelentes, sinto que apenas arranhei a superfície, em relação ao que poderia ter explorado.

 

A tentação é enorme. Eu adoro listas. E o que aprendi nos últimos dois anos, ao afunilar as escolhas, foi incrível. Era muito fácil escolher embrenhar-me numa estratégia de leitura mais intencional. 

 

Mas 2018 será para novos desafios pessoais e sinto necessidade de ler coisas que têm ficado para trás, por manifesta falta de tempo.

 

Também fico com mais liberdade para juntar a leituras partilhadas, algo de que já vou sentindo falta.

 

Estou a sentir imensas saudades de ler ficção de género como romance e policiais. Quero reler de uma assentada tudo de Agatha Christie e ler Sherlock Homes.

 

Quero finalmente ler livros como a trilogia Duna, Ready Player One e toda a bibliografia de Ursula Le Guin.

 

Quero ler Agustina e Natália Correia e tudo que apanhar de Patrícia Portela. Quero retomar leituras das 3 Marias. Quero começar a ler Toni Morrison. Quero ler Margaret Atwood e Isabel Allende.

 

Quero clássicos de aventuras como alguns do Júlio Verne, o Conde de Monte Cristo e Os três Mosqueteiros. Mas também outros clássicos como as Vinhas da Ira, Homem rico/Homem Pobre, Ms Dalloway. 

 

E... como poderão ver, a lista é demasiado longa para qualquer outro desafio literário.

12
Dez17

All Grown Up - Jami Attenberg

30971707

Who is Andrea Bern? When her therapist asks the question, Andrea knows the right things to say: she’s a designer, a friend, a daughter, a sister. But it’s what she leaves unsaid—she’s alone, a drinker, a former artist, a shrieker in bed, captain of the sinking ship that is her flesh—that feels the most true. Everyone around her seems to have an entirely different idea of what it means to be an adult: her best friend, Indigo, is getting married; her brother—who miraculously seems unscathed by their shared tumultuous childhood—and sister-in-law are having a hoped-for baby; and her friend Matthew continues to wholly devote himself to making dark paintings at the cost of being flat broke. But when Andrea’s niece finally arrives, born with a heartbreaking ailment, the Bern family is forced to reexamine what really matters. Will this drive them together or tear them apart? 

Told in gut-wrenchingly honest, mordantly comic vignettes, All Grown Up is a breathtaking display of Jami Attenberg’s power as a storyteller, a whip-smart examination of one woman’s life, lived entirely on her own terms. 

 

Inspiração

10
Nov17

A minha semana literária (com poucas leituras)

No Goodreads, já há votações para os finalistas a "melhores" de 2017.

Capturar

 

Para ouvir:

Bookriot Podcast continua a ser o meu preferido. 

 

Para ler:

1. This Old Man, Life in the nineties - Roger Angell [The New Yorker]

“I know how lucky I am, and secretly tap wood, greet the day, and grab a sneaky pleasure from my survival at long odds.”

 
 
4. 

Invisible_Man

5. Interessante. Será que a Google vai entrar no negócio dos audiobooks?

6. Carl Sagan on the Power of Books and Reading as the Path to Democracy [Brain Pickings]

7. 35+ of your favorite feminist books [Bookriot]

8. O Livro de Emma Reyes – Memória por Correspondência [Quetzal]

"A pintora colombiana Emma Reyes escreveu 23 cartas a um amigo narrando a sua infância miserável num bairro popular de Bogotá nos anos 1920, e a história uma década passada num convento. García Márquez leu parte delas e incentivou-a a escrever. O que mais impressiona é a ausência de rancores." [Público]

 

Por cá:

1.

Grande Prémio de Romance e Novela APE/DGLAB, 2016 - Não se pode morar nos olhos de um gato de Ana Margarida de Carvalho (Teorema)

500_9789724750866_nao_se_pode_morar_nos_olhos_de_um_gato_1460987649

 2. Melhor Álbum BD Português (Amadora BD Portugal, 2017)

Nuvem-Francisco-Sousa-Lobo-216x300

3. “É um tempo voraz, muito rápido, que parece contrário ao tempo lento da leitura; não é fácil transmitir essa mensagem. Com ele a questão de estarmos a lidar numa sociedade que já é digital, com muitos aspetos híbridos, em que as pessoas, em particular os jovens, estão sempre conectados e dão um valor social que está acima de todos os outros valores”, lembrou. (Teresa Calçada, comissária do Plano Nacional de Leitura)

 

4. Doze autores escolhidos no ano em que regressam as bolsas de criação literária [Público]. Excelente lista para explorar novos autores.

Ficção:
- Ana Margarida de Carvalho
- Patrícia Portela
- Isabel Rio Novo
- Margarida Paredes

Poesia:
- Rui Cóias
- Raquel Nobre Guerra

Literatura para a infância e juventude:
- Rosário Alçada Araújo
- Carla Maia de Almeida

Dramaturgia:
- Gisela de Matos
- Elmano Esteves Saraiva

Banda desenhada:
- Marta de Sousa Teives Henriques
- Nuno Saraiva

 

5. António de Lobo Antunes tem um novo romance: Até Que as Pedras Se Tornem mais Leves Que a Água. Com direito a entrevista no Público

“É claro que é um grande romance, fui eu que o escrevi!” 

Claro que o título é puxado de um texto em que a frase é seguida por um "[risos]". Pergunto-me se é ALA fiel a si próprio ou a gozar com a imagem dele, que tanto gostam de cultivar?