Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

16
Ago17

O Barão de Lavos - Abel Botelho

O-Barao-de-Lavos

O Barão De Lavos, terá sido o primeiro livro escrito em português a abordar o tema da homossexualidade. O Barão, vítima de uma apetência congénita entre o desejo pelo feminino e o masculino, vivendo no luxo e na opulência, acaba por mergulhar na maior das misérias sociais, tema que Abel Botelho trata de uma maneira muito realista e extremamente cruel. 

 

Inspiração: Hugo Cunha

12
Ago17

Agosto no Douro (sem sair de casa)

Há muito que planeava aproveitar Agosto (mês de aniversário de nascimento de Miguel Torga) para ler o seu romance autobiográfico A Criação do Mundo. 

 

São 600 páginas pelo que precisava de um pouco de disponibilidade temporal e mental para pegar nele. Mas decididamente é o meu plano de leituras para as férias.

DSCF2240

Miguel Torga nasceu a 12/08/1907, há 110 anos. Conheci-o como muitas/os de vós, na escola, com Contos da Montanha, Novos Contos da Montanha e Bichos. Estou intencionalmente a evitar esses, porque apesar de não me recordar das histórias, recordo-me do impacto emocional.

 

Miguel Torga é pseudónimo de Adolfo Correia da Rocha. Tenho nas minhas notas (não anotei a fonte, infelizmente) que Miguel seria homenagem a outros Miguéis ilustres: Cervantes, Unamuno. E Torga seria uma planta da montanha que cresce no meio de rochas com fortes raízes e caule rectilíneo - uma excelente metáfora para a vida.

 

Outras leituras durienses, na minha lista:

Graça Pina de Morais - Jerónimo e Eulália

A M Pires Cabral - Douro: Pizzicato e Chula; Que comboio é este

Domingos Monteiro - Livros proibidos 

Pina de Morais

João de Araújo Correia - Contos Bárbaros; Contos Durienses; Rio Morto: dez contos e uma novela

Aquilino Ribeiro - Cinco Reis de Gente; É a guerra: diário; O romance de Camilo, 3 volumes

Trindade Coelho - O ABC do Povo; Os meus amores

Guerra Junqueiro - Prosas Dispersas

 

[Conhecem escritoras?]

27
Jul17

Man Booker Prize 2017 - Lista de nomeações

A primeira lista (longlist) de nomeados para o Man Booker Prize 2017 já foi publicada.

BookStack

4 3 2 1 by Paul Auster (US)

Days Without End by Sebastian Barry (Ireland) 
History of Wolves by Emily Fridlund (US) 
Exit West by Mohsin Hamid (Pakistan-UK)
Solar Bones by Mike McCormack (Ireland) 
Reservoir 13 by Jon McGregor (UK) 
Elmet by Fiona Mozley (UK) 
The Ministry Of Utmost Happiness by Arundhati Roy (India) 
Lincoln in the Bardo by George Saunders (US) 
Home Fire by Kamila Shamsie (UK-Pakistan)
Autumn by Ali Smith (UK) 
Swing Time by Zadie Smith (UK)
The Underground Railroad by Colson Whitehead (US)

 

É impressão minha, ou esta é uma lista mais diversa que o habitual?

07
Jul17

O Cérebro que Aprende Lições para a Educação

Neste momento estou a ler uma biografia de Cleópatra, por Stacy Schiff, vencedora do prémio Pulitzer. Cortesia da minha biblioteca municipal.

Entre as páginas, descobri um talão de empréstimo de outra/o utilizador/a para o livro O Cérebro que Aprende - Lições para a Educação, de Sarah-Jayne Blakemore e Uta Frith.

 

1288_MAIN

Este livro une os conhecimentos teóricos mais recentes (edição original de 2005) da neurociência com as suas implicações práticas, no que diz respeito à capacidade de aprendizagem do cérebro. Assim, ficamos a saber quais os mecanismo fisiológicos da aquisição do conhecimento e de que forma estes se alteram ao longo da vida. Por exemplo, desmistifica-se a ideia de que uma criança aprende melhor do que um adulto: tal não é verdade, pois a plasticidade do cérebro permite a aquisição de conhecimentos ao longo da vida (até ao início da velhice), com a mesma capacidade. Escrito de forma acessível e apelativa, é interessante para curiosos na matéria, e, sobretudo, para educadores. Aliás, o subtítulo da obra é, precisamente, «Lições para a educação». 

 

E é assim que a minha TBR vai aumentando.

 

BMFE 37.03.BLA

05
Jul17

Ler diversamente - Cabo Verde

Ao rever os meus objectivos de leitura para 2017 cheguei a duas conclusões:

- ando a falhar tremendamente o objectivo de ler da estante (a minha biblioteca municipal continua irresistível);

- não tenho lido tão diversamente, quanto desejaria, como prova a lista de livros lidos.

 

Por isso, nada mais apropriado do que no dia, em que se celebra a independência de Cabo Verde (5 de Julho de 1975), traga da biblioteca duas obras, por autores cabo-verdianos:

 

Os dois irmãos - Germano Almeida

Os flagelados do vento leste - Manuel Lopes

 

Ficam no meu radar:

O testamento do Sr. Napomuceno de Silva Araújo - Germano Almeida

Chuiquinho - Baltasar Lopes da Silva

Chuva braba - Manuel Lopes

Hora di Bai - Manuel Ferreira

Cais-do-Sodré té Salamansa - Orlanda Amarílis

05
Jul17

Feliz Aniversário, Mia Couto!

1 

Há vários livros de Mia Couto que ainda não li. Não acho que estarei a exagerar se disser que é o mais celebrado escritor moçambicano. Todavia, a lista de escritores moçambicanos de referência é imensa e este ano quero ler outros como José Craveirinha e Paulina Chiziane. 

 

O meu objectivo é seguir, mais ou menos a sua bibliografia, de forma cronológica porque quero ler de uma vez a trilogia "As areias do imperador".

Assim, a minha TBR tem:
Terra Sonâmbula
A Varanda do Frangipani
O Último Voo do Flamingo
Um Rio Chamado Tempo, uma Casa Chamada Terra
Venenos de Deus, Remédios do Diabo
Jesusalém