Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

31
Dez17

Alegria

Há uns dois meses que não lia mais que um punhado de páginas. Por vezes acontece-me, a vida não me sai da cabeça e não há espaço para os livros.

 

Foi a urgência de querer cumprir o objectivo do  Clube dos Clássicos Vivos, que me fez obrigar-me a ler A ilustre casa de Ramires, de Eça de Queiróz.

 

E bastou esse empurrão, a três dias do término do prazo, que me fez escapar para dentro de um livro, que devorei em dois dias. 

 

A ilustre casa de Ramires claramente não agradou a todos os membros do clube. Fui lendo os comentários, mas assim que comecei a ler, rapidamente percebi que seria um dos meus preferidos. Tivesse Eça terminado A ilustre casa de Ramires como terminou o Crime do Padre Amaro e ter-me-ia partido o coração. 

 

Apaixonei-me pelo fidalgo Gonçalo, com todas as suas imperfeições, incoerências, dissonâncias cognitivas. E quem nunca cedeu, no alinhamento das suas acções com os seus valores, atire a primeira pedra.

 

E mais não digo, que seria spoiller, e eu não quero terminar o ano com o pé esquerdo e os doces por fazer. Só queria vir, num pulinho, partilhar convosco a alegria pueril que é o amor pelos livros, que é sempre de partilhar.

 

Desejo-vos um excelente 2018, cheio de tudo que desejam.

2 comentários

Comentar post