Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

20
Ago18

Armas, Germes e Aço - Jared Diamond

Mapa-Mudo-del-Mundo.png

 Armas, Germes e Aço, de Jared Diamond venceu, entre outros, o prémio Pulitzer em 1998. Não sendo um livro perfeito, é um livro fundamental. 

 

O autor, um geógrafo, apesar de chamar ao livro Armas, Germes e Aço, dá como pressuposto que a sociedades humanas complexas emergem de excedentes alimentares, que por sua vez permitem uma maior densidade populacional e a possibilidade de sustentar pessoas não produtivas de alimentos como artesãos, inventores, militares, chefes... 

 

Peço-vos que olhem para o mapa e se perguntem:

- porque motivo algumas sociedades evoluíram para formas complexas e outras permaneceram (até hoje) caçadoras-recolectoras? 

- porque motivo as sociedades da Euroásia dominaram e até conquistaram outros povos?

 

Dou-vos, a resposta de antemão: "não devido a biologia humana, mas sim por causa das diferenças nos ambientes continentais." 

 

Considerem o seguinte: 

- uma mãe caçadora-recolectora tem de acompanhar o grupo nas mudanças de acampamento, carregando a sua criança, logo só poderá ter outra, quando a anterior for capaz de a acompanhar a pé;

- uma mãe sedentária pode criar tantos filhos quantos seja capaz de alimentar. 

 

Assim, a densidade populacional no primeiro caso é controlada para uma razão de 1 criança a cada 4 anos e no caso de povos sedentários, de 2 anos. A força dos números.

 

Acresce que, de todas as plantas existentes na Terra, só uma pequena porção é comestível para humanos. Assim, enquanto que os caçadores-recolectores têm de percorrer grandes distâncias para se alimentarem, os agricultores concentram num pequeno espaço uma produção maior de calorias comestíveis. 

 

Olhem novamente para o mapa, por favor. Pensem na agricultura. Para onde acham que ela se propagará? 

 

A euroásia (incluindo o norte de África) é a maior massa terrestre do mundo; o seu eixo este-oeste permite que muitas culturas e invenções se transmitissem com relativa rapidez para sociedades com latitudes e climas análogos.

 

Com efeito, a disseminação das culturas depende de semelhantes mudanças sazonais, temperatura e pluviosidade.

Mas também de sorte na lotaria geográfica: ausência de barreiras ecológicas e aquáticas, como por exemplo o deserto do Sara ou o istmo do Panamá, entre outros. 

 

Importa referir que isto não são teorias abstractas. Jared Diamond vai apontando descobertas na área da datação de carbono, genética e até molecular que mostram os tempos e as geografias da evolução de homens, plantas, animais e germes. 

 

IMG_20180812_230342_090.jpg

 

A história da humanidade é assim repleta de factores que determinaram a evolução de um povo ou a conquista de outro e J. Diamond utiliza países, zonas ou episódios da nossa história e até a linguística para demonstrar diferenças evolutivas. 

 

Por exemplo, o que levou à queda dos povos índios, apesar da sua superioridade numérica face aos invasores?

No que respeita aos incas, não foram as armas de fogo dos espanhóis, difíceis de recarregar, mas as de aço que chacinavam índios com armaduras leves, em oposição às mocas incas que não eram capazes de causar danos a armaduras de aço dos espanhóis. 

 

Porém, a grande arma dos invasores foram os germes: 

As doenças introduzidas pelos europeus espalharam-se de tribo para tribo um pouco por todas as Américas, antecipando-se ao avanço dos próprios europeus e matando um total estimado de 95% da população nativa americana pré-colombiana". 

 

Jarod Diamond percorre 13 mil anos da nossa evolução para nos demonstrar a importância da domesticação das plantas, dos animais, de como evoluíram e se propagaram sistemas de escrita, do porquê da inovação tecnológica no Japão, entre outras informações chave. Em suma, como chegamos até aqui. 

 

Apesar de algumas repetições, toda a informação científica é exposta com uma clareza que surpreende. Sinceramente, considero grave ter chegado até à data sem este conhecimento, querendo ser uma pessoa do mundo, cidadã informada. A nossa evolução não terminou e saber como chegamos aqui é imprescindível para um futuro melhor. 

 

E se com este longo post não vos convenci que este livro é fundamental, é porque EU falhei ao redigi-lo. 

 

 

P.S. - Se não o lerem, o vosso castigo será não saberem porque a zebra não foi domesticada e porque o vosso teclado foi feito para escreverem mais devagar. 

2 comentários

Comentar post