Saltar para: Post [1], Comentários [2], Pesquisa e Arquivos [3]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

07
Nov16

Mudança de discurso

Tem sido com imenso prazer que tenho lido e ouvido as participações ao desafio #lerosnossos, começado pela Cláudia.

 

 

Porém, houve um pormenor que me começou a fazer impressão: notei que diversas pessoas utilizavam o verbo "divulgar" para descrever o desafio. E às tantas de o ouvir (e eu também o disse, entenda-se) já soava que estavamos todas/os numa missão de caridade, para dar visibilidade à literatura portuguesa, no intervalo das nossas leituras a sério...

 

Quero mudar o meu discurso. Eu não quero divulgar, eu quero partilhar as leituras que adoro e nessas incluem-se bastantes autoras/es nacionais. 

 

Por exemplo, estive agora a ler Saga da Sophia de Mello Breyner, porque faz parte das metas curriculares de uma sobrinha e eu faço questão de acompanhar as leituras delas.  

Adorei. Lindíssimo. Profundo. Poético e incrivelmente chato para uma jovem de 13 ou 14 anos que jamais compreenderá a beleza de um parágrafo assim:

E Hans compreendeu que, como todas as vidas, a sua vida não seria mais a sua própria vida, a que nele estava impaciente e latente, mas um misto de encontro e desencontro, de desejo cumprido e desejo fracassado, embora, em rigor tudo fosse possível. E compreendeu que as suas grandes vitórias seriam as que não tinha desejado e que, por isso, nem sequer seriam vitórias.

 

Por isso, se tiverem por aí um/a miúda/o com o Saga à mão (faz parte das metas curriculares do 8º ano), leiam-no porque não se irão arrepender.  

1 comentário

Comentar post