Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

19
Jun18

Book porn por €1.00

Ele confiava na opinião daquele amigo. Gostava de passar os fins-de-semana de Inverno em sua casa, estirado no sofá da sala, lendo. Por isso sexta-feira à tarde foi comprar o livro antevendo com volúpia todo o desenrolar do processo: sair da livraria sentindo o livro nas mãos (era absolutamente impossível pedir emprestado um livro quando se tratava de saboreá-lo), desfazer o embrulho em casa, devagar, cheirar a livro (adorava o cheiro dos livros novos), mirar a capa dum lado e do outro, ler as bandanas, deixar o livro pousado em cima da mesa da sala enquanto ia à cozinha preparar e comer o seu jantar (ele vivia sozinho); voltar à sala, olhar o livro de longe, aguçando do desejo; quase ceder à tentação de começar imediatamente a ler; resistir, aguçar ainda mais o desejo, decidir não, hoje à noite vou sair, amanhã sim. E o sábado chegou com uma cor amarela, cor da alegria, apesar de estar um dia chuvoso.

Os sensos incomuns, Maria Isabel Barreno

Custo: €1.00 aqui

20
Mar18

Dia Internacional da Felicidade

Felicidade

 

- Considera-te já uma iniciada. Não podes ser uma verdadeira apicultora enquanto não fores picada.

Uma verdadeira apicultora. Ao ouvir aquelas palavras, invadiu-me um profundo sentimento de plenitude e, nesse preciso momento, um bando de melros levantou voo de uma clareira ali perto, enchendo o céu. Será que os milagres nunca mais acabam?, pensei para comigo. 

 

Humor 

No meu sexto ano, havia na minha aula um rapaz que tinha uma placa de aço no crânio e se lamentava constantemente de que as respostas aos testes não atravessavam a placa. A professora repetia invariavelmente: "Poupa-me!"

26
Fev18

O Conde de Monte Cristo - entre a realidade e a ficção #1

Entrei na toca do coelho e o que encontrei foi absolutamente fascinante. 

 

Descobri que Alexandre Dumas baseou a sua história em factos verídicos, confirmando uma das minhas máximas - frequentemente, a realidade é muito mais estranha que a ficção. 

 

Primeiro tropecei num vídeo que falava do Castelo de If - onde o jovem Dantès é aprisionado - que, pasmem, menciona a existência de um Abade Faria, que terá sido a base para o Abade Faria da nossa história.

Capturar

O verdadeiro Abade Faria, era um católico goês de origens portuguesas (ou não fossem os seus pais Caetano Vitorino de Faria e Rosa Maria de Sousa) e que teve uma vida muito interessante, para um clérigo - pertenceu a um grupo político que tentou derrubar o governo português em Goa e foi parte activa na Revolução Francesa. 

 

O que determinou a sua prisão no Castelo de If, continua um mistério, mas saiu de lá vivo. 

800px-AbaDeFaria

E naturalmente, uma personagem tão interessante não se limitaria a dar bênçãos. O Abade Faria foi um estudioso e praticamente da hipnose, chegando mesmo a ter um consultório em Paris.

Hoje, tem uma rua em Lisboa.

 

Capturar