Saltar para: Posts [1], Pesquisa [2]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

16
Jun18

Livros no meu radar: Asking For It - Louise O’Neill

1 (166).jpg

Inspiração

 

“My body is not my own anymore. They have stamped their names all over it.”

They are obsessed with their appearance, are cruel to other people and even to each other. This all changes after Emma is raped at a party by multiple boys. The incident is recorded and plastered all over social media and a firestorm ensues. Not only is Emma’s side of the story largely ignored, she finds herself the centre of a modern day public shaming ritual. She is blamed for ruining the lives of the “good natured” boys.  

 

#violação

 

Entretanto, no mundo real, depois de ser encontrado o corpo de uma jovem de 22 anos, violada e assassinada de noite, a polícia australiana emitiu o seguinte comunicado: "take responsibility for your own safety". E eu que julgava que a culpa pelos crimes cabia exclusivamente aos criminosos e que a responsabilidade pela segurança cabia às polícias - trabalho pelo qual são pagos/as.

15
Jun18

Quero, quero, quero, quero, quero...

Steve Donoghue tornou-se o pior pesadelo da minha TBR. A capacidade que tem de me "vender" livros, é perigosa.

Bastaram dois vídeos (este e este), para descobrir novas autoras e personagens irresistíveis.

 

1 (164).JPG

Empress - The Astonishing Reign of Nur Jahan, Ruby Lal 

3 (57).jpg

When Women Ruled the World: Six Queens of Egypt, Kara Cooney

 

4 (40).jpg

Love and Ruin, Paula McLain 

51O1U+XkKKL.SX316.SY316.jpg

A Question of Trust, Penny Vincenzi

1 (165).jpg

Summer Wives, Beatriz Williams

 

E ainda...

2 (99).JPG

Near-Death Experiences . . . and Others Hardcover, Robert Gottlieb 

 

[Lamento as fotos em tamanhos diversos, mas juro que a culpa não é minha]

08
Jun18

Curtas literárias

Ouvido:

35718767.jpg

Esta semana, porque já era a segunda vez que mo recomendaram, decidi aproveitar a mensalidade grátis do Scribd para ouvir mais um livro de não-ficção sobre um crime. Na verdade, múltiplos crimes, já que retrata um conjunto de 87 (também já li que foram "só" 67) incêndios, ateados numa pequena localidade, durante meio ano. 

Com afectou a comunidade, em especial os corpos de bombeiros voluntários locais, quem os ateou, o porquê, até à sentença final, é o que o livro (no meu caso em versão audio) promete.

Embora se possa achar que é "só" um livro sobre um crime, na verdade é uma excelente metáfora para o declínio de comunidades rurais, com os seus moradores, estabelecimentos. Até porque, os incêndios foram sendo ateados, quase todos a edifícios abandonados.

 

Confesso que não foi um dos meus preferidos, ainda assim não consegui abandoná-lo, sem ouvir toda a história, que é muito mais sobre os humanos que a povoam, que sobre os crimes. 

 

#readingwomenmonth

 

Listas:

50 MUST-READ BOOKS ABOUT NEURODIVERSITY [Bookriot]

 

Para ler:

George Orwell Reveals the Role & Responsibility of the Writer “In an Age of State Control” [OpenCulture]

 

Notícias:

APEL anuncia fim do voluntariado na Feira do Livro [DN] 

 

Livros no meu radar:

images (1).jpg

Journey into Europe: Islam, Immigration, and Identity - Akbar Ahmed

Inspiração: The Europeans

07
Jun18

Eichmann em Jerusalém - Hannah Arendt

  

 

Screen-Shot-2018-04-20-at-3.51.01-PM-450x684.png

Eichmann em Jerusalém - Hannah Arendt (Ítica/Relógio de Água

 

A 11 de Maio de 1960, uma equipa de agentes da Mossad capturou Adolf Eichmann em Buenos Aires, Argentina, com o intuito de o levar a tribunal em Israel. Nesse ano, Hannah Arendt oferece os seus serviços ao redactor-chefe da New Yorker para cobrir o julgamento em Jerusalém. Da série de artigos escritos nessa altura nascerá o presente livro, cuja publicação em 1963 daria azo a uma intensa polémica.