Saltar para: Post [1], Pesquisa e Arquivos [2]

Diário de Leituras

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

"O regresso à cultura. Sim, autenticamente à cultura. Não se pode consumir muito se se fica tranquilamente sentado a ler livros."

Diário de Leituras

09
Mar18

Um bom homem é difícil de encontrar - Flannery O´Connor

IMG_20180308_135019 (1)

Voltei aos meus livros portáteis, com contos, que me permitem leituras rápidas em locais diversos. E no dia 8, nada mais subversivo que ler um conto de Flannery O´Connor (1925-1964), com o título Um bom homem é difícil de encontrar. 

 

Flannery O´Connor nasceu em Savannah, o coração da (Norte) América sulista. Um bom homem é difícil de encontrar é o nome de uma das suas colectâneas de contos, aliás aquela pela qual ficou mais conhecida. 

 

Já tinha lido O gerânio - contos dispersos Um diário de preces (que nunca terminei). O primeiro, li conto a conto, no horário de almoço, nas visitas à biblioteca.

 

Flannery O´Connor é absolutamente brilhante na utilização da linguagem, construindo personagens tão intensas como hilariantes. Utiliza um humor macabro para revelar as mais intensas imagens psicológicas, de personagens (especialmente as mulheres) que em regra estão em encruzilhadas dramáticas. E o "velho sul" está sempre presente. 

 

Nas o que gosto mesmo é do incrível leque de personagens femininas, como a avó de Um bom homem é difícil de encontrar: 

No decote tinha prendido, com um alfinete, umas violetas feitas de tecido com um saché. Caso tivessem um acidente e a encontrassem morta na estrada, iriam logo perceber que ela era uma senhora.